Blog SP a Pé

menu
Topo
Blog SP a Pé

Blog SP a Pé

Categorias

Histórico

Cinco leituras para refletir sobre as cidades (e sair caminhando)

Adriana Terra

2018-03-20T19:09:51

18/03/2019 09h51

Na semana passada, falei sobre a Feira Cartográfica que rolou no fim de semana que passou no Sesc Pinheiros e me peguei pensando em alguns livros deliciosos e/ou informativos sobre nossa vida nas cidades e a relação que estabelecemos com elas. Fiz uma pequena lista com cinco deles, de tipos variados — tem crônica, guia, sociologia, história — e enfocando lugares distintos, para inspirar caminhadas por aí.

"O meu lugar" (ed. Mórula, 2015)
Livro delicioso para os andarilhos, reunindo crônicas sobre diversos bairros e cantos do Rio de Janeiro, com os autores escrevendo sobre seus pedaços, de coisas que os emocionam a relações da infância, de trajetos de ônibus a memórias de família. Tem o Irajá de Nei Lopes, tem a Copacabana de Luiz Antonio Simas (um dos organizadores), tem São João de Meriti de Bruna Beber, tem a Tijuca de José Trajano. Enfim, um jeito bem delicioso de ler sobre o Rio.

"Miudezas de uma cidade do interior" (Conspire Edições, 2017)
Livro delicado, editado com capricho, com escritos sobre a rotina, a vida em uma pequena cidade baiana chamada Cruz das Almas. A dimensão humana do dia a dia, o convívio, ganham destaque nas observações da autora Sarah Carneiro: da venda de geladinho, as cores da feira que tingem o cenário. Ilustrado com fotos de Luciano Fogaça.

"Escritos urbanos" (editora 34, 2000)
O livro reunindo artigos escritos entre 1985 e 2000 pelo cientista político Lúcio Kowarick é uma oportunidade de pensar as transformações da cidade de São Paulo a partir de sua dimensão política e social, com reflexões sobre moradia, produção de periferias, movimentos ativistas. Importante para entendermos como a cidade foi sendo erguida a partir de escolhas (e descasos).

"New York: the big city and its little neighbourhoods" (The NYC & Company Foundation, 2009)
Um dos livros mais legais (foto abaixo) sobre cidades que já tive em mãos, fala sobre Nova York a partir de seus pequenos comércios de bairro, subvertendo a ideia de uma metrópole se fazer a partir somente de seus grande empreendimentos, monumentos, de sua área mais nobre: é nos cantinhos que a cidade imprime sua personalidade.

"Bexiga, um bairro afro-italiano" (Annablume, 2008)
Quem mora no bairro paulistano sabe disso, mas talvez para quem não viva nele, o fato de o Bexiga ser um bairro de origem afro, onde inicialmente havia um quilombo e onde muitos negros alforriados se estabeleceram pós-assinatura da Lei Áurea, talvez seja desconhecido. Esse ótimo livro conta um pouco dessa história que ficou apagada em meio a folclorização do bairro italiano, bem forte em décadas passadas.

Sobre a autora

Adriana Terra é jornalista e gosta de escrever sobre a cidade e sobre cultura. É co-criadora da série “Pequenos Picos”, mapeamento afetivo de comércios de bairro da capital paulista, e mestranda em Estudos Culturais na EACH-USP, onde pesquisa lugares e modos de vida. Foi criada em Caieiras e há 15 anos vive no centro de São Paulo. Na zona noroeste ou na Bela Vista, sempre que dá, prefere ir caminhando.

Sobre o blog

Dicas de lugares, roteiros, curiosidades sobre bairros, entrevistas com personagens da cidade, um pouquinho de arquitetura e mais experiências em São Paulo do ponto de vista de quem caminha.